NEOJIBA

Os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (NEOJIBA) são exemplo inovador de política pública que alia, de forma pioneira na Bahia, as áreas da Cultura, da Educação e do Desenvolvimento Social. O programa foi criado em 2007 pelo pianista, educador, regente e gestor cultural Ricardo Castro e está vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Governo do Estado da Bahia. A gestão da iniciativa é realizada pelo Instituto de Desenvolvimento Social pela Música (IDSM), fundado em 2008 para promover, incentivar e apoiar o desenvolvimento e a interação social pela prática musical coletiva.

ÁREAS DE ATUAÇÃO: Desenvolvimento Social, Educação e Cultura.

MISSÃO: Promover na Bahia o desenvolvimento e a integração social prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade por meio do ensino e da prática musical coletivos.

VISÃO: A prática artística ao alcance de todos e reconhecida como meio de desenvolvimento humano.

VALORES: Comprometimento, solidariedade, excelência, inovação e transparência.

A metodologia do programa NEOJIBA é inspirada em um modelo didático-musical de desenvolvimento humano, criado por José Antônio Abreu, na Venezuela, em 1975, hoje reconhecido mundialmente como El Sistema, uma das mais exitosas iniciativas  do gênero na história.

Desde 2007, mais de 10 mil crianças, adolescentes e jovens em toda a Bahia foram beneficiados com as ações de formação musical do programa NEOJIBA. Sua estrutura organizacional conta com um total de 13 núcleos, sendo o Núcleo Central NEOJIBA, localizado em Salvador, mais 3 Núcleos Territoriais NEOJIBA em: Feira de Santana; Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista e 9 Núcleos de Prática Musical (NPM), sediados em diferentes bairros da capital e em outros dois municípios do estado: Simões Filho e Jequié. Atualmente, o  NEOJIBA atende 1950 integrantes diretos em seus Núcleos, e 4.500 indiretos em ações de apoio a iniciativas musicais parceiras.  

830 mil pessoas já assistiram às mais de 1.600 apresentações musicais realizadas por todas as formações musicais dos núcleos do Programa. Entretanto, para o grande público, o resultado desse trabalho se revela sobretudo na qualidade musical da Orquestra 2 de Julho ( antiga Orquestra Juvenil da Bahia ) – a primeira e principal formação orquestral do programa NEOJIBA. É constituída por adolescentes e jovens com até 27 anos. Os músicos da 2 de Julho atuam como multiplicadores, aliando o conhecimento musical ao trabalho de monitoria junto aos integrantes dos NPM, dos projetos parceiros e de espaços comunitários da Região Metropolitana de Salvador e do interior do estado. Destaque no cenário nacional e internacional, a Orquestra já realizou mais de 300 apresentações para um público de 480 mil pessoas. Foi a primeira orquestra juvenil brasileira a se apresentar na Europa, em 2010 e desde então já realizou 7 turnês no Brasil e exterior. A partir de 2020, a Orquestra Juvenil da Bahia, quando em turnê, passará a ser formada, através de processos seletivos internos, de músicos das várias formações orquestrais de todos os Núcleos do NEOJIBA.

O fundador e diretor-geral do Programa NEOJIBA, o maestro Ricardo Castro, é o regente titular da Orquestra 2 de Julho. Premiado pianista com carreira internacional, em 2011 foi eleito a Personalidade Cultural do Ano pelo ‘Prêmio Bravo!’ em reconhecimento ao seu trabalho com os jovens integrantes do programa. Em 2013, foi o primeiro brasileiro a receber o título de Membro Honorário da Royal Philarmonic Society. O título foi concedido apenas 131 vezes, em 200 anos, a personalidades como Brahms, Liszt ou Stravinsky, em reconhecimento a importantes serviços prestados à música.