Parque do Queimado

O Parque do Queimado abrigou a primeira central de tratamento e distribuição de águas do Brasil. Inaugurado na segunda metade do século 19, a história do lugar é ainda mais antiga. Há mais de quatro séculos, os padres jesuítas descobriram ali uma importante fonte de água que serviu à Soledade e a Lapinha, em Salvador, nos séculos 17 e 18.

O conjunto de edifícios da antiga companhia de distribuição de água foi inaugurado oficialmente, com a presença de D. Pedro II e da imperatriz Teresa Cristina, em 1859. A Companhia de Abastecimento de Água do Queimado foi um marco da engenharia no Brasil, sendo a primeira usina de tratamento e distribuição urbana de água do país. Em 1997, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) inscreveu a Fonte e o Parque no Livro Histórico Nacional, dando proteção do Governo Federal à área. As obras de requalificação da sede do NEOJIBA foram analisadas, autorizadas e fiscalizadas pelo IPHAN.

Um Parque para chamar de casa

Com o casarão principal tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Parque do Queimado virou a casa do NEOJIBA depois de quase três anos de obras, com recursos do Governo do Estado da Bahia e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Em 2017, o local foi visitado pela primeira vez pelos engenheiros da Nagata Acoustics, empresa japonesa responsável pelo tratamento acústico de algumas das melhores salas de concerto do mundo, como a nova Philarmonnie, de Paris, e o Disney Hall, em Los Angeles, e que assinou o projeto acústico do Parque do Queimado.

Em 09 de julho de 2019 foi inaugurada a nova sede do NEOJIBA. Com cerca de 10 mil m² de área com árvores de grande porte, a sede do NEOJIBA funciona todos os dias da semana, em diferentes turnos e está preparada para receber mais de mil crianças, adolescentes e jovens para atividades de formação musical e em apresentações musicais, conforme projetos especialmente programados. Centenas de crianças, adolescentes e jovens estão em projetos fixos e frequentam diariamente o Parque, além de outros que usam o espaço eventualmente. A Sede tem aulas e ações educativas de segunda a sexta-feira e atividades artísticas nos finais de semana. Na sala NEOJIBA, com capacidade para 170 pessoas, acontecem ensaios de conjuntos ou individuais, concertos didáticos. Em outras áreas do Parque ainda são realizadas aulas abertas e também atividades e apresentações ao ar livre . Além disso, a Sede está conceituada como um espaço dinâmico de convivência familiar e comunitária, voltado para ações de intercâmbio de jovens músicos do Brasil e do mundo, presencialmente e via internet de alta capacidade. A qualquer hora, há sempre música ressoando na sede do Núcleo Central NEOJIBA. Aos fins de semana, os concertos no Parque são gratuitos. Só nos 6 meses de 2019, depois da inauguração, foram 60 apresentações, que reuniram integrantes do NEOJIBA e artistas convidados, do Brasil e do exterior.

Eco Parque

O Parque do Queimado é uma das últimas áreas verdes do centro antigo de Salvador. Em agosto de 2019, os funcionários e integrantes do NEOJIBA se uniram em uma ação para que novas árvores possam crescer em sua sede. Foram plantadas 104 mudas de Ipê, Jacarandá e Pau-Brasil doadas pelo Programa Arboretum, que conserva e restaura a diversidade florestal na Bahia.

O secretário do Meio Ambiente (SEMA), João Carlos Silva, e Mario Mantovani, do SOS Mata Atlântica, participaram da ação coletiva. O dia começou com a limpeza do Parque, seguida de uma palestra do maestro Ricardo Castro, fundador do NEOJIBA, sobre o Eco Parque do Queimado. Depois, todo mundo colocou as mãos na terra.

O Programa Arboretum é uma iniciativa do Serviço Florestal Brasileiro, com apoio do IBAMA, sediado em Teixeira de Freitas, sul da Bahia.