NEOJIBA

Os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (NEOJIBA) são exemplo inovador de política pública que alia, de forma pioneira na Bahia, as áreas da Cultura, da Educação e do Desenvolvimento Social. O programa foi criado em 2007 pelo pianista, educador, regente e gestor cultural Ricardo Castro e está vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Governo do Estado da Bahia. A gestão da iniciativa é realizada pelo Instituto de Ação Social pela Música (IASPM), fundado em 2008 para promover, incentivar e apoiar o desenvolvimento e a interação social pela prática musical coletiva.

ÁREAS DE ATUAÇÃO: Desenvolvimento Social, Educação e Cultura.

MISSÃO: Promover na Bahia o desenvolvimento e a integração social prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade por meio do ensino e da prática musical coletivos.

VISÃO: A prática artística ao alcance de todos e reconhecida como meio de desenvolvimento humano.

VALORES: Comprometimento, solidariedade, excelência, inovação e transparência.

A metodologia do programa NEOJIBA é inspirada em um modelo didático-musical de desenvolvimento humano, criado por José Antônio Abreu, na Venezuela, em 1975, hoje reconhecido mundialmente como El Sistema, uma das mais exitosas iniciativas  do gênero na história.

Cerca de 6 mil crianças, adolescentes e jovens em toda a Bahia são contemplados com as ações de formação musical do programa NEOJIBA. Sua estrutura organizacional conta com um total de 13 núcleos, sendo o Núcleo de Gestão e Formação Profissional (NGF), localizado em Salvador, e 12 Núcleos de Prática Musical (NPM), sediados em diferentes bairros da capital e em outros cinco municípios do estado: Simões Filho, Porto Seguro, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Jequié. Atua ainda em Bases Comunitárias de Segurança, em Salvador, e em 29 municípios de 13 Territórios de Identidade do estado. Mais de 420 mil pessoas já assistiram às 721 apresentações musicais realizadas pelas formações musicais dos núcleos do Programa.

Para o grande público, o resultado desse trabalho se revela na qualidade musical da Orquestra Juvenil da Bahia – a primeira e principal formação orquestral do programa NEOJIBA. É constituída por adolescentes e jovens com até 27 anos. Grande parte destes músicos atua como multiplicadores, aliando o conhecimento musical ao trabalho de monitoria junto aos integrantes dos NPM, dos projetos parceiros e de espaços comunitários da Região Metropolitana de Salvador e do interior do estado. Destaque no cenário nacional e internacional, a Orquestra já realizou mais de 190 apresentações para um público de 200 mil pessoas. Foi a primeira orquestra juvenil brasileira a se apresentar na Europa, em 2010.

O fundador e diretor geral do Programa NEOJIBA, o maestro Ricardo Castro, é o regente titular da Orquestra Juvenil da Bahia. Premiado solista com carreira internacional, em 2011 foi eleito a Personalidade Cultural do Ano pelo ‘Prêmio Bravo!’ em reconhecimento ao seu trabalho com os jovens integrantes do programa. Em 2013, foi o primeiro brasileiro a receber o título de Membro Honorário da Royal Philarmonic Society. O título foi concedido apenas 131 vezes, em 200 anos, a personalidades como Brahms, Liszt ou Stravinsky, em reconhecimento a importantes serviços prestados à música.