Orquestra Castro Alves – OCA

oca-site-2

A Orquestra Castro Alves é a segunda formação do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia). Em 2009, dois anos após a criação do programa, surgiu uma formação mirim de cordas, grupo experimental que no ano seguinte se transformou em uma orquestra sinfônica, recebendo o nome de Orquestra Castro Alves (OCA), em homenagem ao poeta baiano.

A OCA se configura como estágio intermediário de capacitação sob a monitoria dos instrumentistas da Orquestra Juvenil da Bahia, principal formação do NEOJIBA. Ela recebe um grande número de integrantes dos diferentes Núcleos de Prática Orquestral e Coral (NPOs) do programa e de integrantes da REDE de projetos parceiros do interior do estado da Bahia, aprovados em audições públicas. É um grupo heterogêneo e constituído por integrantes entre 12 e 22 anos, sendo que a maioria se encontra na adolescência.

Apesar da pouca idade dos músicos, a orquestra destaca-se pela flexibilidade e capacidade de dialogar com diferentes personalidades, maestros e propostas de trabalho. A OCA tem tradição na realização de concertos didáticos direcionados ao público infanto-juvenil e já se apresentou nos principais teatros do Estado da Bahia como: Teatro Castro Alves e Teatro Vila Velha, em Salvador; Teatro Cidade do Saber, em Camaçari. A orquestra já realizou cerca de 80 apresentações para mais de 40 mil pessoas. Em 2015, a OCA se apresentou para mais de 3 mil pessoas, em sete cidades: Maceió, Recife, Caruaru, João Pessoa, Natal, Fortaleza e Salvador, durante sua primeira turnê pela região nordeste do Brasil.

Em 2014, a OCA dividiu o palco do Teatro Castro Alves com a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), sob a regência de Felipe Prazeres. Já trabalhou com músicos consagrados, como a violinista japonesa Midori Goto, o violinista Leon Spierer, spalla por 30 anos da Orquestra Filarmônica de Berlim, o maestro francês Benoît Willmann, a maestrina britânica Catherine Larsen-Maguire, e o maestro e violinista venezuelano Eduardo Salazar.

Durante vários anos, a OCA esteve sob a regência do maestro Yuri Azevedo; um dos grandes talentos revelados pelo programa NEOJIBA. Em 2015, a Orquestra Castro Alves foi regida pelo jovem maestro, Cássio Bitencourt. Desde 2016, a OCA tem como regente titular o maestro Marcos Rangel.

 

Contato:

Coordenador(a): Marcos Rangel
Email: marcosrangel@neojiba.org
Telefone: (71) 3117-4844

Comentários