Orquestra Juvenil da Bahia comemora 10 anos com turnê

Publicado em: 03/07/2017
30959020503_353b469245_z

Principal formação do NEOJIBA toca em Salvador, São Paulo, Campos do Jordão e Belo Horizonte

 

Em 2007, a Bahia via nascer um programa de orquestras e corais que transformaria a vida de crianças, adolescentes e jovens e traria novas perspectivas para a infância e a juventude do Estado. 10 anos após a fundação do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), a Orquestra Juvenil da Bahia se prepara para uma turnê que celebra esta primeira década de história e mostra a excelência desses jovens músicos. Sob a regência de Eduardo Salazar e Ricardo Castro, que também atua como solista ao piano, a principal formação do Programa apresenta o Concerto para Piano nº 2, de Ludwig van Beethoven, Prélude à l’Après-midi d’un Faune, de Claude Debussy, e a Sinfonia nº 5 de Dmitri Shostakovich.

 

A estreia acontece no dia 19 de julho (quarta-feira) no berço da Juvenil da Bahia: o Teatro Castro Alves, em Salvador. Será uma dupla sessão com concerto didático gratuito às 15h e o concerto com repertório completo às 19h30. Na sequência, o grupo viaja para São Paulo, onde se apresenta no dia 22 de julho (sábado) na Sala São Paulo, às 16h30. Dentro da programação do Festival de Inverno de Campos do Jordão, a Juvenil da Bahia toca dia 23 de julho (domingo), às 16h30, no Auditório Cláudio Santoro. Para fechar a turnê, os músicos sobem ao palco da Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte, no dia 25 de julho (terça-feira), às 20h.

 

As obras do repertório da turnê refletem três estilos contrastantes, com abordagens de interpretação e realização diferentes. Debussy será executada sem partitura e sem maestro, o concerto de Beethoven será apresentado no seu formato original, com o solista regendo do teclado, e a sinfonia de Shostakovich, que será regida por Eduardo Salazar, representa o lema que inspirou a criação do NEOJIBA:  Tocar e Lutar. Salazar é um importante expoente do El Sistema, programa de orquestras venezuelano criado pelo maestro José Antonio Abreu em 1975.

 

Para Ricardo Castro, diretor fundador do NEOJIBA, esta sétima turnê da Juvenil da Bahia em 10 anos representa uma vitória do Programa. “Em um ano de crises institucionais e econômica celebramos nosso décimo aniversário levando uma mensagem de superação, de cada integrante, e do Programa como um todo, que continua investindo com todas as suas forças na infância e na juventude para que tenham oportunidades à altura de suas capacidades”.

 

Outra ação importante que engloba a turnê é o intercâmbio entre o NEOJIBA e a EMESP Tom Jobim (Escola de Música do Estado de São Paulo). Quatro bolsistas da escola tocam junto com a Orquestra Juvenil da Bahia nas quatro cidades. Os músicos chegam a Salvador no início de julho para ensaiar e conhecer as atividades de prática coletiva da musical desenvolvidas nos Núcleos do Programa na Bahia. “Somos dois programas musicais de excelência, nos quais os jovens brasileiros encontram oportunidades inéditas. Colaborar com a Orquestra Jovem Estadual de São Paulo segue na linha de nossas colaborações com outras instituições de prestígio como a Haute Ecole de Musique de Genebra ou a Youth Orchestra of the Américas”, afirma Ricardo Castro.

  

Excelência e multiplicação

A Orquestra Juvenil da Bahia pode ser considerada uma formação de renome internacional, pois tem na bagagem passagens pelos Estados Unidos e quatro pela Europa, com apresentações em prestigiados palcos da música de concerto como a Philharmonie de Paris, o Konzerthaus em Berlim, o Auditorium Stravinski em Montreux, e a Queen Elizabeth Hall em Londres. Além disso, já tocou ao lado de consagrados solistas como Martha Argerich, Jean-Yves Thibaudet, Midori Goto, Maxim Vengerov, Maria João Pires, Colin Currie e Cesar Camargo Mariano.

 

A excelência artística é compartilhada com outras crianças, adolescentes e jovens da Bahia. Esta é uma das principais razões da existência do NEOJIBA, que acredita que através da prática musical coletiva e de excelência é possível promover o desenvolvimento social. A Orquestra Juvenil da Bahia é formada por músicos multiplicadores. Todos eles atuam em Núcleos de Prática Musical mantidos pelo Programa ou desenvolvem atividades em escolas, centros comunitários e projetos sociais espalhados pelo Estado. Ao todo, mais de 4 mil pessoas são beneficiadas de forma direta ou indireta pelas ações de multiplicação dos jovens músicos da Juvenil da Bahia.

 

Orquestra Juvenil da Bahia
Primeira formação do programa NEOJIBA, a Orquestra Juvenil da Bahia foi criada em 2007. Sob a direção artística de seu fundador, o maestro e pianista Ricardo Castro, a orquestra já realizou várias turnês nacionais e internacionais, com cerca de 200 apresentações para mais de 160 mil pessoas, no Brasil, nos Estados Unidos e em vários países da Europa. Artistas como Martha Argerich, Jean-Yves Thibaudet, Midori Goto, Maxim Vengerov, Maria João Pires, Colin Currie, Cesar Camargo Mariano e Orkestra Rumpilezz são alguns dos que já tocaram ao lado da formação.

Ricardo Castro
Nascido em Vitória da Conquista, Ricardo Castro é o diretor fundador do NEOJIBA. Estabeleceu-se na Europa desde 1984, onde estudou piano com Maria Tipo e Dominique Merlet e regência com Árpád Gérecz. Premiado no Concurso da ARD de Munique em 1987 e Géza Anda de Zurique em 1988, foi elevado à categoria de pianista de renome internacional ao receber o primeiro lugar no Leeds Internacional Piano Competition na Inglaterra, em 1993. Ricardo Castro leciona desde 1992 na classe de mestrado da Haute Ecole de Musique de Lausanne, na Suíça, e desde 2005 dedica-se com obstinação às atividades de integração e desenvolvimento social, criando oportunidades inéditas para jovens e crianças brasileiras. Desde 2013, é o primeiro brasileiro a integrar a lista de “Honorary Member” da Royal Philharmonic Society em Londres, na qual figura ao lado das mais importantes personalidades da música ocidental.

Eduardo Salazar
O regente e violinista Eduardo Salazar é um dos talentos internacionais revelados pelo aclamado “El Sistema”, programa venezuelano de orquestras e coros juvenis e infantis criado em 1975, que inspirou a fundação do NEOJIBA. Desde 2011, Salazar cultiva um diálogo permanente com o Programa baiano, desenvolvendo trabalhos em especial com a Orquestra Juvenil da Bahia e a Orquestra Castro Alves. Frente à Orquestra Simón Bolívar, da Venezuela, Salazar já regeu no Southbank Centre, em Londres, no Zellerbach Hall, de Berkeley, e no Carnegie Hall, de Nova Iorque. Atualmente, Salazar é um dos spallas da Orquestra Simón Bolívar. Já atuou sob a regência de maestros como Gustavo Dudamel, Claudio Abbado, Sir Simon Rattle e Lorin Maazel e participou de turnês na Europa, Ásia, Estados Unidos e de vários países da América Central e do Sul. Toda sua formação musical contou com o apoio e a orientação do maestro José Antonio Abreu, fundador do “El Sistema”.

Programa NEOJIBA

Criado em 2007 como um dos programas prioritários do Governo do Estado da Bahia, o NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) tem por objetivo promover na Bahia o desenvolvimento e a integração social, prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletivos. O NEOJIBA beneficia cerca de 4.600 crianças, adolescentes e jovens em todo o estado da Bahia. É uma ação da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e seu diretor fundador é o maestro e pianista Ricardo Castro.

 

 SERVIÇO

 

SALVADOR

 

19 de julho (quarta), 15h

Teatro Castro Alves – Praça Dois de Julho, Campo Grande

Concerto Didático

Orquestra Juvenil da Bahia (NEOJIBA)

Entrada gratuita

 

19 de julho (quarta), 19h30

Teatro Castro Alves – Praça Dois de Julho, Campo Grande

Ingressos: R$ 4 (inteira) / R$ 2 (meia)

Orquestra Juvenil da Bahia (NEOJIBA)

Ricardo Castro, regente e piano

Eduardo Salazar, regente

 

Programa

Claude Debussy – Prélude à l’Après-midi d’un Faune

 

Ludwig Van Beethoven – Concerto para Piano nº 2 em Si bemol maior, Op.19

I. Allegro con brio

II. Adagio

III. Rondo, molto allegro

 

Dmitri Shostakovich – Sinfonia nº 5 em Ré menor, Op. 47

I. Moderato

II. Allegretto

III. Largo

IV. Allegro non tropo

 

 

SÃO PAULO

 

22 de julho (sábado), 16h30

Sala São Paulo – Praça Júlio Prestes, 16, Luz

Ingressos: R$ 25 (inteira) / R$ 12,50 (meia)

Orquestra Juvenil da Bahia (NEOJIBA)

Ricardo Castro, regente e piano

Eduardo Salazar, regente

 

Programa

Claude Debussy – Prélude à l’Après-midi d’un Faune

 

Ludwig Van Beethoven – Concerto para Piano nº 2 em Si bemol maior, Op.19

I. Allegro con brio

II. Adagio

III. Rondo, molto allegro

 

Dmitri Shostakovich – Sinfonia nº 5 em Ré menor, Op. 47

I. Moderato

II. Allegretto

III. Largo

IV. Allegro non troppo

 

CAMPOS DO JORDÃO

 

23 de julho (domingo), 16h30

Auditório Cláudio Santoro – Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista

Ingressos: R$ 25 (inteira) / R$ 12,50 (meia)

Orquestra Juvenil da Bahia (NEOJIBA)

Ricardo Castro, regente e piano

Eduardo Salazar, regente

 

Programa

Ludwig Van Beethoven – Concerto para Piano nº 2 em Si bemol maior, Op.19

I. Allegro con brio

II. Adagio

III. Rondo, molto allegro

 

Dmitri Shostakovich – Sinfonia nº 5 em Ré menor, Op. 47

I. Moderato

II. Allegretto

III. Largo

IV. Allegro non troppo

 

 

BELO HORIZONTE

 

25 de julho (terça), 20h

Sala Minas Gerais – Rua Tenente Brito Melo, 1090, Barro Preto

Ingressos: R$ 20 (inteira) / R$ 10 (meia)

Orquestra Juvenil da Bahia (NEOJIBA)

Ricardo Castro, regente e piano

Eduardo Salazar, regente

 

Programa

Claude Debussy – Prélude à l’Après-midi d’un Faune

 

Ludwig Van Beethoven – Concerto para Piano nº 2 em Si bemol maior, Op.19

I. Allegro con brio

II. Adagio

III. Rondo, molto allegro

 

Dmitri Shostakovich – Sinfonia nº 5 em Ré menor, Op. 47

I. Moderato

II. Allegretto

III. Largo

IV. Allegro non troppo

Comentários