Neojiba é homenageado na Câmara

Publicado em: 14/11/2017
camara

Sessão especial celebrou os 10 anos do projeto

Música que transforma vidas. Notas que fazem uma nova história. A trajetória dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba) para cada uma de suas 4,6 mil crianças, adolescentes e jovens poderia ser resumida nessas duas frases. Fundado em 2007 pelo Governo do Estado da Bahia, o grupo ganhou uma sessão especial em comemoração aos seus 10 anos na Câmara Municipal de Salvador. A atividade foi presidida pela vereadora Marta Rodrigues (PT), na noite desta segunda-feira (13), no Plenário Cosme de Farias.

“Esse é um projeto que tem uma grande relevância na formação da juventude. Precisamos reconhecer políticas públicas que proporcionam a inclusão de crianças e jovens. É obrigação da nossa Casa dar destaque a ações como essa”, disse a vereadora Marta Rodrigues. A Orquestra Juvenil da Bahia executou todos os hinos da sessão além de diversas músicas durante a atividade.

Em janeiro de 2007, o maestro Ricardo Castro aceitou o convite do Governo do Estado da Bahia para implantar um programa inspirado no “El Sistema”, projeto venezuelano que foi criado em 1975. O primeiro contato de Ricardo Castro com o “El Sistema” deu-se em 2006, quando assistiu o filme “Tocar y Luchar”. Certo de que um programa similar poderia funcionar bem na Bahia, começou a divulgar a ideia para todos os possíveis interessados, colocando-se à disposição para ajudar se fosse necessário.

“É muito importante que ações como essa sejam reconhecidas, pois nosso país precisa de políticas públicas a longo prazo. Neste sentido, lançamos a campanha ‘NEOJIBA 100 anos’, pois o programa precisa perdurar para gerações futuras. Dez anos é tempo suficiente para poder verificar impactos reais nas vidas dos integrantes e esse resultado nos dá mais segurança para continuar na mesma direção”, destacou o maestro.

Relevância social
O programa, executado pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), conta com 42 projetos atuantes em 36 municípios da Bahia. O NEOJIBA, que busca promover a integração social de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade, já se apresentou publicamente mais de 854 vezes contando com o público total de 500 mil pessoas.

“Não há nada mais prioritário do quê políticas públicas para jovens e crianças. Numa cidade como a nossa onde os jovens vivem um eterno presente este é um projeto que traz perspectiva de futuro, inclusão e formação profissional”, pontuou a assessora da SJDHDS e representante do Governo do Estado, a ex-vereadora Vânia Galvão.

“A música é o fim para muitos, mas pode ser também meio. O NEOJIBA apresenta hoje uma ação estruturante que através da arte propicia um desenvolvimento integral desses jovens”, disse a coordenadora de Música da Fundação Cultural do Estado (Funceb), Alessandra Pamponet.

“Esse projeto tem um impacto imenso nas nossas vidas como cidadãos. Além de moldar nosso caráter e mudar nossa história, o NEOJIBA nos dá a oportunidade de passar nosso conhecimento adiante”, disse o trompista Uriel Borges, 20 anos, há sete no projeto.

Uma das primeiras alunas, Clara Letícia Nascimento, 21 anos, toca Flauta Transversal. Nesses 10 anos ela já se apresentou em países como França, Suíça, Inglaterra e Alemanha. “Eu tive a oportunidade de aprender com os professores mais renomados do mundo e tocar em locais de grande importância para a música clássica”, disse destacando a importância do projeto em sua vida.

Renan Pinto, 22 anos, entrou na orquestra há cinco anos. Antes ele tocava Clarinete na Filarmônica do município de Itiúba. “Tudo que sei eu devo ao NEOJIBA. O grande propósito e diferencial é a construção e aprendizado coletivo fortalecido pelo propósito de que aprende quem ensina”, destacou Renan.

Também fizeram parte da mesa da sessão especial a auditora fiscal do trabalho, Marli Costa, representando a titular da Superintendência Regional do Trabalho, Gerta Fahel, e o vice-presidente do Conselho Administrativo do Instituto de Ação Social pela Música, Manoel Barros.

Fonte: Câmara Municipal de Salvador

Comentários