Lutheria realiza itinerância nos Núcleos do NEOJIBA

Publicado em: 18/07/2017
lutheria frame

A rotina dos integrantes dos Núcleos de Prática Orquestral e Coral do NEOJIBA envolve ensaios diários, dedicação, perseverança e muita disciplina. Porém, não é apenas o domínio da técnica que torna alguém um bom músico. Um dos fatores essenciais na hora do estudo é a boa condição de seu instrumento. Afinal, não tem como produzir um resultado musical de qualidade com um instrumento defeituoso, certo?

Para assegurar que cada criança, adolescente e jovem do Programa esteja com um instrumento em boas condições de uso, o Atelier Escola de Lutheria (AEL) do NEOJIBA realiza em 2017 o projeto Itinerância nos Núcleos. Toda semana, os jovens multiplicadores visitam um dos Núcleos para fazer reparos e manutenção dos instrumentos. O Núcleo SESI, no bairro de Itapagipe, foi o primeiro a receber este grupo de luthiers.

De acordo com David Matos, coordenador do AEL, a idealização desse projeto surgiu a partir de um diagnóstico realizado no ano passado, que identificou a necessidade de aproximar a Lutheria dos Núcleos do Programa. “Logo que iniciamos o projeto, deu para sentir a alegria de todos por estarmos ali, a motivação para trabalhar em conjunto e fortalecer o Núcleo”, conta Lucas Santos, aprendiz técnico de lutheria escalado para atender o Núcleo CESA, em Simões Filho. Lucas explica que o trabalho busca conscientizar os integrantes sobre o cuidado com os instrumentos, que são de uso coletivo. Durante as visitas, os jovens da AEL fazem levantamento e mapeamento dos instrumentos e compartilham dicas de manutenção básica.

“Está sendo uma experiência de muito aprendizado. Da nossa parte, existe sempre uma preocupação de como tratar uma criança. Busco entendê-los e mostrar a maneira correta de usar o instrumento”, conta Felipe Santana, aprendiz técnico de lutheria que acompanha o Núcleo SESI.

Raimundo Santos, assistente administrativo da Lutheria, observa que o projeto Itinerância nos Núcleos é uma forma de disseminar informações sobre o cuidado preventivo, porque evita que ações em curso no Atelier sejam interrompidas para dar prioridade a instrumentos que chegam com caráter de urgência.

“Eu penso nesse trabalho como o pit stop de uma corrida de Fórmula 1. A ideia é parar o instrumento um minuto para o luthier fazer o reparo básico, “colocar um pouquinho mais de gasolina” e deixar o integrante continuar tocando. Se a gente espera ele fazer a “corrida” toda sem manutenção, depois vai ser preciso ficar duas ou três semanas na “oficina” e nós não queremos isso”, compara David Matos. “Estamos empolgados. Esperamos que os coordenadores possam dar continuidade a esse trabalho de preservação dos instrumentos e que eles saibam que a Lutheria está disponível para prestar qualquer assistência. Afinal, nós só existimos porque existem instrumentos para serem reparados”, completa Raimundo.

O Atelier Escola de Lutheria atende os 11 Núcleos de Prática Orquestral e Coral do NEOJIBA e também o Núcleo de Gestão e Formação Profissional formado pelo Coro Juvenil e as Orquestras Juvenil da Bahia e Castro Alves. Os Núcleos SESI e CESA foram os primeiros a receber o projeto Itinerância nos Núcleos do AEL. Os próximos a receber a visita são: Federação e Nordeste de Amaralina. Fique de olho!

Comentários