Jovens músicos multiplicam conhecimento em suas comunidades

Publicado em: 01/12/2017
35051552765_17ec230359_z

No início de 2017, um novo projeto de multiplicação foi implantado no NEOJIBA. Adolescentes e jovens das principais formações musicais do Programa foram convidados a realizar atividades artísticas em escolas e centros comunitários dos bairros onde vivem. O programa Músico Multiplicador, ou simplesmente Promulti, foi criado para que os músicos compartilhem seu conhecimento, experimentem outras linguagens artísticas em diálogo com a música e desenvolvam seu potencial empreendedor. As 12 equipes constituídas atuam em Salvador, nos bairros Santa Cruz, 7 de Setembro, Canela, Capelinha de São Caetano, Paripe, Nordeste de Amaralina, 2 de Julho, Pernambués, e no município de Riachão do Jacuípe.

Segundo Ana Júlia Bittencourt, coordenadora do Promulti, este primeiro ano do programa foi totalmente experimental, tanto para os músicos quanto para a equipe de acompanhamento. “No primeiro semestre, a ação começou do zero. Neste segundo semestre, o PROMULTI adquiriu um pouco mais de maturidade, uma vez que os músicos entenderam melhor o funcionamento do projeto. Ele ficou mais fluido e se desenvolveu com maior solidez”, afirma.

Para Ísis do Carmo, flautista da Orquestra Juvenil da Bahia, a experiência é enriquecedora. “Ano que vem eu termino o ensino médio e logo terei que escolher a área em que vou me especializar. O Promulti me ajudou a ter uma noção básica do que é lecionar, tanto para adolescentes, quanto para crianças. Pretendo sim continuar as atividades aqui no bairro. As crianças estão muito interessadas e, ao meu ver, o bairro precisa disso. Caso ocorra algum imprevisto, como plano B, se possível, gostaria de atuar no Martagão Gesteira”, escreveu Ìsis do Carmo à coordenadora do Promulti.

Ana Júlia avalia que todos os projetos são exitosos e que o resultado superou as expectativas. “Tivemos retornos muito positivos. Alguns responsáveis das instituições atendidas já pediram que a atividade continue no local em 2018”.

Luiza Oliveira, 25 anos, integra a equipe que atua no Centro Comunitário de Paripe (CECOP). Junto com os colegas Eliel Santos, Jéssica Almeida e Ualesson Matos, a jovem ministra aulas de iniciação musical para crianças e adolescentes de 9 a 18 anos. Para Luiza, que nunca havia dado aulas coletivas, o projeto foi extremamente enriquecedor. “É próximo de onde moro, então eu conheço as pessoas para as quais dou aula e vejo o crescimento delas”, conta. A musicista da Orquestra Juvenil da Bahia avalia que o sucesso do Promulti foi uma coordenação bem planejada. “ O projeto foi muito bem organizado. Recebemos capacitação para estar na frente de uma sala de aula”, afirma Luiza.

 

Comentários