Músicos multiplicadores desenvolvem atividades artísticas em escolas

Foto: Lenon Reis/NEOJIBA

Iniciativa envolve integrantes da Juvenil da Bahia e contempla 13 bairros

Em 2017, o NEOJIBA iniciou uma proposta inovadora – o Promulti (Projeto Multiplicador) que envolve 43 músicos da sua principal formação musical, a Orquestra Juvenil da Bahia. Nesta iniciativa, o músico atua como agente cultural que propõe e realiza projetos que dialogam com as mais diversas linguagens artísticas. Estes jovens abraçaram o desafio e estão desenvolvendo atividades gratuitas em escolas, ambientes culturais e espaços comunitários dos bairros onde moram e transitam.

Um total de 13 bairros serão contemplados com as ações do Promulti: Pernambués, Paripe, Santa Cruz, Canela, 2 de Julho, Patamares, 7 de Setembro, Capelinha de São Caetano, Largo dos Mares, Nordeste de Amaralina e Garcia, em Salvador, e o bairro Centro, no município de Riachão do Jacuípe. “Cada músico, ao inscrever a sua proposta, identificou um espaço para viabilizá-la. Para a nossa felicidade, todos os locais escolhidos acolheram o projeto”, conta Ana Júlia Bittencourt, coordenadora do projeto.

O NEOJIBA acredita que um músico do século XXI é um ator cultural que precisa assumir diferentes papeis para se desenvolver. É esta formação plural que o programa pretende oferecer para os seus jovens multiplicadores, explica Fabien Lerat, gerente pedagógico do NEOJIBA. “No contexto atual, o músico precisa desenvolver aptidões multidisciplinares, por exemplo nas áreas de empreendedorismo e pedagogia, além das competências musicais e sociais, para responder aos desafios do nosso tempo”, acrescenta Fabien. Segundo ele, o Promulti reflete a nova visão do programa NEOJIBA que almeja que a prática artística esteja ao alcance de todos e seja reconhecida como meio de desenvolvimento humano.

“O foco deixou de ser prioritariamente musical e passou a ser artístico. Essa é a principal mudança”, sinaliza Ana Julia Bittencourt. De acordo com a coordenadora, no Promulti, o músico pode trabalhar com diferentes linguagens artísticas, como o teatro e as artes visuais. “O diferencial será exatamente propor este diálogo entre linguagens artísticas lado a lado com a música”.

A equipe formada pelos músicos Talita Freitas (contrabaixo), Caio Soares (violoncelo), Elson Freitas (viola), Alexsandro Alves (contrabaixo), Gerusa Maria (viola) e Italo David (contrabaixo) já iniciou suas atividades no bairro de Santa Cruz, em Salvador. Os jovens, com idade entre 16 a 21 anos, realizam atividades lúdicas de ensino musical com crianças de 9 a 11 anos, na Escola Municipal Theodoro Sampaio. Os encontros são sempre às terças-feiras, das 13h às 15h.

“Escolhemos essa escola porque ela tem uma estrutura legal e duas integrantes do grupo já estudaram lá. Além disso, o colégio conta com professores nas áreas de artes e teatro que podem agregar ao nosso trabalho. Estamos trabalhando com alunos da 4ª série. A receptividade foi muito boa”, conta Caio Soares, que toca violoncelo na Orquestra Juvenil da Bahia. “Na primeira semana, explicamos o que era grave/agudo. Nos encontros seguintes realizamos uma brincadeira com Escravos de Jó. Já levamos também música clássica para que os estudantes identificassem o nome do compositor. Acredito que ao final do projeto, as crianças vão compreender como funciona o universo musical. Será uma experiência de abertura para novas percepções”.

A spalla da Orquestra Juvenil da Bahia, a violinista Dâmaris Santos, integra um grupo de jovens de 17 a 25 anos que irão realizar atividades no Colégio Odorico Tavares, no Corredor da Vitória. “A minha equipe tem muitas pessoas, então vamos nos dividir em subgrupos. Vamos trabalhar com alunos do 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio, com idade entre 16 até 19 anos. As atividades irão acontecer no horário de aula dos estudantes”, relata a musicista.

O grupo de Dâmaris irá desenvolver atividades de percussão corporal, percussão com materiais reciclados e jogo dos copos. “Vai ser desafiador porque eles têm a nossa idade. Por outro lado, esta experiência vai nos ensinar a lidar com pessoas que não foram preparadas para o universo da música. Eles estão acostumados com outras disciplinas e nós vamos ter que abrir o campo musical para eles conhecerem”, acredita a jovem.

O Promulti é uma ação que integra o calendário comemorativo dos 10 anos do NEOJIBA. O projeto será desenvolvido durante o primeiro semestre 2017 e, após uma avaliação, segue até o mês de dezembro ativo.

Conheça os bairros e instituições onde os jovens do Promulti atuam:

Bairro Pernambués

Colégio Darcy Ribeiro

Bairro Paripe

CECOP

Bairro Santa Cruz

Colégio Municipal Teodoro Sampaio

Bairro Canela

Colégio Estadual Deputado Manoel Novaes

Bairro 2 de Julho

Colégio Estadual Ypiranga

Bairro Patamares

Colégio Pan Americana da Bahia

Bairro 7 de Setembro

Colégio Estadual Odorico Tavares

Bairro de Capelinha de São Caetano

Igreja Assembleia de Deus

Bairro Largo dos Mares

Núcleo de Assistência Comunitária

Bairro Nordeste de Amaralina

Colégio Polivalente

Bairro Garcia

Colégio Estadual Edgar Santos

Bairro Centro, município Riachão do Jacuípe

Orquestra Nossa Senhora das Lourdes

 

 

 

Comentários